domingo, 21 de março de 2010

Geld wie Heu


Eu estava naquelas feiras de anime. A mesma coisa de sempre, pessoas estranhas e impossivelmente ansiosas para torrar suas mesadas e salários que conseguiram com sangue, suor e lágrimas em objetos caracterizados e quase sempre, inúteis. Isso sem contar os cosplayers que além de torrarem seu dinheiro com fantasias e afins, ainda se torram. Porque devia estar um calor insuportável dentro daqueles casacos e vestidos e quimonos e calças e - imagine só! - bandagens. Eu mesma, que estava apenas de bermuda e camiseta como toda brasileira que se preze, estava derretendo ali, não importa o quanto chuviscasse.
Não importa. Sério, não importam as horas de sono perdidas para chegar cedo e comprar ingressos ou a fila interminável mesmo que você chegue às sete da manhã. Também não importa o quanto os vendedores te extorcam, provavelmente imaginando que você é filho do Bill Gates e não um simples mortal que se joga de joelhos diante de seus pais e chefes implorando por qualquer dinheirinho. Vale à pena. A verdade é que todo otaku é um belo de um masoquista. Vale à pena conversar com aqueles malucos fantasiados e cantar músicas em japonês na frente de um sem número de pessoas e enfiar-se entre pessoas suadas e maníacas para comprar um objeto qualquer e que você nunca usaria se ele não tivesse a cara do seu personagem preferido estampada nele. Quem se importa com dinheiro? Você sempre pode implorar por mais ou trabalhar dobrado. Sério, quem se importa? A sua mochila tem a cara do Naruto agora.
Isso sem contar a satisfação de ouvir o vendedor dizendo que você é 'gatinha demais' e que ficaria linda com uma coleira humana com estampa de oncinha, por mais que aquela tal coleira fosse a coisa mais cafona que você já tenha visto depois daquele vestido que você ganhou de Natal.
Claro, nem tudo são flores.
Ainda há aquela vez em que o Tio Patinhas parece baixar em você e não há nada que te faça gastar seu dinheirinho suado. Por um curto período de tempo, claro. Você ainda fraqueja e corre na direção daquele chapéu, o único de toda a feira, perfeito e incrível demais. - E daí que ele não cabe na sua cabeça? Você pode dizer que comprou! E isso, meu caro, é capaz de mandá-lo para o Céu. - Porém, aquela pontada no peito, algum consumista filho de uma mãe comprou seu tesouro antes de você. E adivinha o quê mais? Com o dinheiro da mamãe. É. Quem precisa de mesada agora? Pelo menos podemos nos consolar sabendo que essa criatura que não nos entende será linchada antes que possa gritar: "KATEKYO HITMAN REBORN!"
Mas como eu disse, vale à pena. Sempre, sempre vale a pena decorar o seu quarto com canecas, chapéis, posters, bonecos, cartas, mangás que são mais caros que seus livros da escola e bijuterias espalhadas por seu banheiro, por mais que nem mesmo você caiba direito lá. Vale à pena. Vale à pena. Vale à pena.
E continuará valendo enquanto as desculpas para um adiantamento na mesada / salário forem criativas, claro.
PS: Eu não copiei a Nanase Kei, juro que só fui ler o post dela depois. E o dela está infinitamente mais genial, diga-se de passagem.

2 comentários:

Saki Miyazawa Morgan disse...

Engraçado, a Nanase Kei fez um post parecido no blog dela, há uns meses. Isso só prova que todo otaku que visita feiras de anime pensa mais ou menos a mesma coisa, há. *tomates*

Mas como eu já disse: as histórias que se consegue nessas feiras não tem preço <3

Sunrise disse...

Na última vez que eu fui numa feira de anime eu ainda não trabalhava, e meu pai só tinha me dado 20 reais. Ainda assim, me orgulho em dizer que consegui um colar com a cruz de D.Gray-man, uma tiara com orelhas de gato e um bottom, yay. Aliás, agora eu já estou preparada para no de Julho comprar MUITASMUITASMUITAS coisas, afinal, eu vou economizar o meu (cofmínimocof) salário durante cinco meses, o que deve dar para alguma coisa.

Enfim. Esses lugares são sempre uma dimensão paralela, cara. É um sonho e um pesadelo ao mesmo tempo.

(Nota observatória: o colar de D.Gray-man custava quinze reais, mas a moça me vendeu por dez porque viu que eu era fã de verdade da série, já que eu tinha sido a primeira a grita "AHMEUDEUSÉACRUZDAORDEMNEGRAOMGEUPRECISODISSO" [sim, eu falei/gritei muito rápido])

Postar um comentário