sábado, 27 de março de 2010

Sie


"Olha, Yao, se eu colocar a mão assim..." - Ela sorriu meio tímida diante daquela imensidão laranja que era o pôr-do-sol, as mãos se fechando no ar, como que segurando algo tão frágil quanto as flores silvestres sob os pés descalços deles. Yao quase não entendia o que ela falava, concentrado como estava no movimento do cabelo dela quando o vento os envolvia. - "Parece que estou tocando o sol. Sei lá, isso não parece meio mágico?"
"Por que isso, aru?" - Ele se levantou, batendo a terra da calça e caminhou até ela, com aquela calma quase perfeita, um sorriso tão doce nos lábios que tantas vezes beijaram os dela. Segurou seu pulso com delicadeza, olhando-a bem lá no fundo dos olhos. - "O sol está bem aqui."
E ambos sorriram com os dedos entrelaçados com força, porque para ele, não havia outro astro mais brilhante que aquela garota ali ao seu lado.

.x.


"QUE DIABOS VOCÊ ESTÁ FAZENDO?" - Gritou, esperneou e quase morreu quando ela o mandou calar a boca com um olhar. Os olhos esbugalhados grudados nos dela, tão escuros em contraste com os seus. (Quando estava sozinho, pensava que os dela eram infinitamente mais bonitos por sua simples escuridão. Quando ela estava feliz, ele via todas as cores do arco-íris naqueles olhos.) - "O M-MEU CARRO...!"
"Só dei um jeitinho nele, Lud, estava parecendo caminhão de funerária."
"Você pintou um arco-íris...No meu carro?" - Engoliu em seco, incrédulo, mas incapaz de não pensar no quanto ela ficava linda com aquela camiseta toda suja de tinta. Ela sorriu, quase tão brilhante quanto ouro ou pó de fada. (Mesmo que ambos preferissem duendes.) - "Por quê?"
"Porque arco-íris são lindos, oras. Que nem você." - Ela balançou o pincel em um gesto de descaso e gotas azuis de tinta caíram sobre o carro. (Como chuva.)
E ele suspirou, conformado, fitando aquele arco-íris na pintura do seu carro. Pelo menos, agora toda vez que andasse de carro, lembraria dos olhos dela. (Não que ele precisasse ser forçado a isso.)


.x.


"Volta para mim, mulher maluca!" - Os moradores daquela rua olham aquele albino aos berros em plena madrugada, de joelhos diante de uma baixinha com cara de sono e choro.
"Por que?" - Ela sussurra entre os dentes, morrendo de vergonha, ignorando o buquê de rosas que ele lhe estende.
"Porque eu sou incrível demais para levar um fora." - Ele sorri, os olhos brilhantes e as mãos segurando os tornozelos dela. Com força desnecessária, até parece que ela vai fugir pela rua vestida de pijama. Ela lhe dá um tapa e grita qualquer coisa sobre ele ser um banana ou um cara de mamão. Ele a puxa para o chão e encosta sua testa na dela, aquele sorriso sacana ainda maior.
"E porque o que eu sinto por você é ainda mais incrível para poder ser simplesmente ignorado."

.x.

Só porque virou modinha e porque elas merecem tudo isso e muito mais. Já que elas são...Sei lá, notaram que praticamente viramos aquele super trio à lá filme? Como Harry Potter, Um Jeans Viajante e etc? Não? Surto meu? Sabia. Sabe? É que eu realmente considero elas como amigas e não como simples autoras que leram as minhas fanfics. Eu amo vocês, caramba. A Polônia não existe sem as Lituânias.
Nota: 'Sie' pode ser traduzido como 'elas' ou 'ela'.
[Nota da Saki/Nanne: E as Lituânias nem pensam em existir sem a Polônia s2]

2 comentários:

Sunrise disse...

Bom, foi lindo. Eu adorei todos. E dessa vez vou comentar algo decente, cacilda. (ou não, mas vamos lá).

Adorei a sua com o Gil. Foi muito meiga. E eu totalmente imagino ele dando esse escândalo, haha S2 (Nota aleatória: isso me lembrou uma Prússia/Canadá que eu li uma vez, mesmo que as duas não tenham muito a ver /hmm)

A do Lud com minha metade Saki também estava linda. Pintar o carro dos outros é o que há. Simplesmente muito meiga. (E que bom que você lembrou que eu tenho olhos escuros /runz)

E... a minha. Foi... Bah, eu adorei. Eu tento ser imparcial, mas não rola. Amo quando você escreve com o Yao. Simplesmente amo. Principalmente quando tem eu-Nanne no meio. Foi muito lindo. (Acabei de lembrar que o Kiku diz pro Yao que China é o país onde o sol se põe - ou algo assim. Tenho que reassistir aquele episódio /hmm).

Enfim 8D

(E as Lituânias nem pensam em existir sem a Polônia s2 [o que é claramente óbvio])

Saki Miyazawa Morgan disse...

Depois desse post, se você disser de novo que não tem talento, tomarei a liberdade de sentar a mão na sua cara (virtualmente, claro qqq).

A da minha metade Nanne foi linda, etérea e com um ar delicioso de magia. Aiai, Yao, tão romântico /foge
(E o Kiku diz isso mesmo, eu-Nanne u_u)

A sua foi O improviso do ano, claro. Genialmente perfeita e perfeitamente genial (H). Gilbert no melhor da sua canastrice (e isso é ótimo, sério 8D) e você... Bem, sendo você =D

E a Lud/eu-Saki? O que comentar? Que ficou tudo e foda e maravilindo? Não, não é o suficiente, nem chega perto. Mas eu não vou escrever um testamento aqui pra cansar sua vista (e nem tenho palavras pra isso).

O que seria de nós sem ti, Polski?

(E obrigada por me animar. E por não dizer que eu fico triste por bobagens nem nada do tipo. Tchamote demais <3)

Postar um comentário